Sê bem-vindo andarilho!

Entre, sente-se e se permita iludir - a mente cansada - com meus conceitos chulos, minhas ideias tão minhas e um mundo de aglomerações.
Aqui apresento, expurgo e dou conceitos - nem sempre meus - que podem servir a qualquer um.
Leia, releia e tome muito cuidado: fora ser prolixo, sou o próprio sofismo em pessoa (use isso contra mim e assuma que me lê).
Aqui o luxo é o lixo com ego inflado.
Pense que há vinho e deguste, decupe, compartimente e minta para você mesmo.
Salut à boa perdição dos perdidos, os achados em si (bemol)!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Personagem ou persona?

Não cansamos de ver, ler, ouvir depoimentos de artistas onde eles apresentam o árduo trabalho da concepção de um personagem.
São horas de estudos, oficinas, experimentos, conversas e observações.
Ao final o personagem está desenhado, perfilado e pronto para ser usado qual uma roupa.
Um pouco antes do espetáculo o ator faz toda uma preparação para vestir o personagem e usa um tempo depois para conseguir despir-se
Segundo eles, não são fácies tais tarefas, mas o resultado - quando perfeito - é gratificante.
A persona é uma parte de nós. Não é couraça nem postura, mas é um pouco de cada.
São perfis que temos e que usamos de acordo com a situação.
Algumas personas afloram como uma reação resposta de uma ação, outras precisamos centrar, preparar todo um sistema para que ela surja.
Uma persona muito comum é aquela que vem quando "perdemos a cabeça" em uma discussão. Aquele nosso perfil que apresentamos quando estamos nervosos é uma persona nossa. Uma parte que temos, mas nem sempre usamos.
Quando alguém nos faz perder o chão no sexo, temos mais uma persona. Vamos além de nós mesmos, nos permitimos.

As personas podem ser, até certo ponto, controladas. Podem ser tanto convidadas quanto expulsadas. É uma questão de trabalho, auto conhecimento, disponibilidade e respiração.

Isso posto as perguntas que não calam são:
O que você usa para jogar BDSM, um personagem ou uma persona?
Consegue ver um e outro?
Quem garante que sua persona não é um personagem muito bem trabalhado?
E se for, qual o demérito?
Por outro lado e se realmente for persona?
Como a aciona?
Como dividir a secretária eficiente da submissa atenta e prestativa?
Quando não confundir disponibilidade intelectual com disposição emocional?


Boa semana a todos!!!

(hoje é sexta, mas programarei a postagem para quarta! Eeeeeeeehhhhhh depois de meses consigo postar numa quarta-feira!!!)
(acreditem se quiser... fiz uma programação errada. Notei que a postagem não entrou, vim ver e... coloquei para dezxembro. Será que não consigo mais postar as quartas por algum feitiço? Arrrgggg)
kkkkkkk

Foto:
http://farm3.static.flickr.com/2695/4424575116_cb2f4443b5_o.jpg

Um comentário:

.ana. disse...

Szir GanoN

Estou achando que a sexta é a persona da quarta ou seria ela personagem? ah, esses dias....

Distinguir nossa persona e personagem é uma tarefa para a vida, sem fim, o BDSM pode ser uma boa Direção para administrar saídas e entradas de cena. Mas me chamou a atenção sua última pergunta, quando não confundir disponibilidade intelectual com disposição afetiva, fiquei pensando, talvez não entrem em cena ao mesmo tempo mas devem atuar juntas até o afetivo roubar a cena. Por vezes pode ficar escondidinho na coxia, envergonhado, mas sem sua atuação a peça não tem apelo nem brilho.
Hoje eu acho que não é possível viver nada BDSM sem as grande s estrelas: afeto, emoção, sentimento para com o outro.

beijos
ana.mmk